Como Abrir Um Consultorio Medico?

Como Abrir Um Consultorio Medico

Documentação necessária – Se você quer saber como abrir um consultório médico sem grandes transtornos nossa dica é buscar por um contator para auxiliá-lo a resolver todas as questões burocráticas e fiscais. De preferência, procure um profissional que tenha conhecimento das especificidades de um negócio de saúde. As principais delas são: 

  • Autorização do Corpo de Bombeiros
  • Autorização da Vigilância Sanitária
  • Registro do consultório enquanto pessoa jurídica (CNPJ)
  • Alvará de Funcionamento
  • Cadastro no CNES: esse é um registro obrigatório que todos estabelecimentos que oferecem serviços de saúde devem possuir.

Como abrir o próprio consultório?

Quanto ganha o dono de uma clínica médica?

Rentabilidade – Em relação à rentabilidade da clínica médica , é preciso considerar o investimento inicial na empresa. Para isso, você divide o valor inicialmente investido pelo resultado estimado do fluxo de caixa anual. Assim, você obterá a taxa de retorno anual do investimento – ou a rentabilidade anual.

  1. Vamos a um exemplo, considerando que o investimento inicial foi de R$96 mil e o fluxo de caixa anual é de R$7;
  2. 500;
  3. Então, você fará o seguinte cálculo: 7500/96000;
  4. O resultado será 7,81%;
  5. Essa é a rentabilidade anual do seu negócio;

O objetivo, portanto, é que sua clínica seja rentável, trazendo retorno sobre o investimento, e lucratividade, obtendo saldo positivo em relação às despesas. Veja as estratégias que ajudam a atingir esse objetivo.

Como abrir um espaço de saúde?

O que eu preciso para montar um consultório de pediatria?

Quanto custa para abrir um consultório médico?

O custo da localização do centro clínico, baseado em obras necessárias para viabilizar o espaço, mobiliário e decoração, legalização, equipamentos e gastos iniciais ficam em torno de R$ 80 mil no mínimo, a R$ 800 mil, de acordo com o direcionamento do planejamento.

O que é consultório médico tipo 1?

NOME DESCRIÇÃO Consultório Médico Ambiente restrito destinado à prestação de consultas médicas, podendo ou não realizar procedimentos clínicos ou diagnósticos, sob anestesia local, com ou sem sedação dependendo do tipo: Tipo I – Exerce a medicina básica sem procedimentos, sem anestesia local e sem sedação. Tipo II – Executam procedimentos sem anestesia local e sem sedação. Tipo III – Executam procedimentos invasivos de risco de anafilaxias, insuficiência respiratória e cardiovascular, inclusive aqueles com anestesia local sem sedação ou onde se aplicam procedimentos para sedação leve e moderada. Unidade Básica de Saúde/Posto de Saúde Unidade destinada à prestação de assistência a uma determinada população, de forma programada ou não, por profissional de nível médio e supervisão médica periódica. Centro de Saúde Prestam os mesmos atendimentos dos Postos de Saúde e mais: o Assistência médica; o Assistência odontológica; o Análise laboratorial; o Educação sanitária; o Suplementação alimentar; o Atendimento de enfermagem; o Controle de doenças infectoparasitárias; o Serviços auxiliares de enfermagem; o Saneamento básico; o Atendimento aos pacientes encaminhados; o Treinamento de pessoal; o Supervisão de postos de saúde; o Fiscalização sanitária. Ambulatório (policlínica/centro médico/centro de especialidades) Unidade de saúde para prestação de atendimento ambulatorial em várias especialidades, incluindo ou não as especialidades básicas, podendo ainda ofertar outras especialidades não médicas. Podendo ou não oferecer Sadt e atendimento ambulatorial 24 horas. Unidade Mista Unidade Básica de saúde destinada à prestação e atendimento em atenção básica e integral à saúde, de forma programada ou não, nas especialidades básicas, podendo oferecer assistência odontológica e de outros profissionais, com unidade de observação, sob administração única. A assistência médica deve ser permanente e prestada por médico especialista ou generalista. Pode dispor de urgência/emergência e SADT básico ou de rotina. Hospital Geral Hospitais são todos os estabelecimentos com pelo menos 5 (cinco) leitos, para internação de pacientes, que garantem um atendimento básico de diagnóstico e tratamento, com equipe clínica organizada e presença de médico 24 horas, com prova de admissão e assistência permanente prestada por médicos. Além disso, considera-se a existência de serviço de enfermagem, nutrição e dietética, atendimento terapêutico direto ao paciente, durante 24 horas, com a disponibilidade de serviços de laboratório e radiologia, serviço de cirurgia e/ou parto, bem como registros médicos organizados para a rápida observação e acompanhamento dos casos.

Tipo IV – Executam procedimentos, com anestesia local mais sedação. Destinado à prestação de atendimento nas especialidades básicas, por especialistas e/ou outras especialidades médicas. Pode dispor de serviço de Urgência/Emergência.

Deve dispor também de SADT de média complexidade. Podendo ter ou não SIPAC. Observação: Com menos de 5 leitos não serão registrados como hospitais. – DE PEQUENO PORTE – Com capacidade instalada de 5 a 50 leitos. – DE MÉDIO PORTE – Com capacidade instalada de 51 a 150 leitos. Hospital especializado Hospital destinado à prestação de assistência à saúde em uma única especialidade/área. Pode dispor de Serviço de Urgência/Emergência e Sadt, podendo ter ou não Sipac. Geralmente, de referência regional, macrorregional ou estadual. Observação: Com menos de 5 leitos não serão registrados como hospitais. – DE PEQUENO PORTE – Com capacidade instalada de 5 a 50 leitos. Hospital/Dia – Isolado Unidades especializadas no atendimento de curta duração, com caráter intermediário entre a assistência ambulatorial e a internação. Upas/Pronto-Atendimento Estabelecimento de saúde de complexidade intermediaria de assistência médica ininterrupta, atendimento as urgências/emergências, com ou sem unidades de repouso, devendo compor com a rede hospitalar e/ou UBS/SF, rede de referência e continuidade do atendimento.

UPA/PA População da região de cobertura Área física Nº de atendimentos médicos em 24horas Nº mínimo de médicos por plantão Nº mínimo de leitos de observação
I 50. 000 a 100. 000 habitantes 700 m² 50 a 150 pacientes 2 médicos, sendo um pediatra e um clínico geral 5 – 8 leitos
II 100. 001 a 200. 000 habitantes 1. 000 m² 151 a 300 pacientes 4 médicos, distribuídos entre pediatras e clínicos gerais 9 – 12 leitos
II 200. 001 a 300. 000 habitantes 1. 300 m² 301 a 450 pacientes 6 médicos, distribuídos entre pediatras e clínicos gerais 13 – 20 leitos
See also:  Que Medico Trata Dolor De Rodilla?
Serviços hospitalares de urgência e emergência Entende-se por serviços hospitalares de urgência e emergência os denominados prontos socorros hospitalares, pronto-atendimentos hospitalares, emergências hospitalares, emergências de especialidades, ou quaisquer outras denominações, excetuando-se os serviços de atenção às urgências não-hospitalares, como as UPA’s e congêneres. Unidade Móvel Fluvial Barco/navio equipado como unidade de saúde, contendo, no mínimo, um consultório médico e uma sala de curativos, podendo ter consultório odontológico. Clínica Especializada/Ambulatório Especializado Clínica especializada destinada à assistência ambulatorial em apenas uma especialidade/área da assistência (centro psicossocial/reabilitação etc. ) e/ou executem procedimentos sob sedação. Unidade de Apoio de Diagnose e Terapia Unidades isoladas onde são realizadas atividades que auxiliam a determinação de diagnóstico e/ou complementam o tratamento e a reabilitação do paciente. Unidade Móvel Terrestre Veículo automotor equipado, especificamente, para a prestação de atendimento ao paciente. Unidade Móvel de Nível pré-Hospitalar na Área de Urgência Veículo terrestre, aéreo ou hidroviário destinado a prestar atendimento de urgência e emergência pré-hospitalar a paciente vítima de agravos a sua saúde (PTMS/GM 824, de 24/6/1999). Cooperativa Unidade administrativa que disponibiliza seus profissionais cooperados para prestarem atendimento em estabelecimento de saúde. Regulação de Serviços de Saúde Unidade responsável pela avaliação, processamento e agendamento das solicitações de atendimento, garantindo o acesso dos usuários do SUS, mediante um planejamento de referência e contrarreferência. TIPO I – Urgência (estrutura física constituída por profissionais (médicos, telefonistas auxiliares de regulação médica e rádio-operadores) capacitados em regulação dos chamados telefônicos que demandam orientação e/ou atendimento de urgência, por meio de uma classificação e priorização das necessidades de assistência em urgência, além de ordenar o fluxo efetivo das referências e contrarreferências dentro de uma Rede de Atenção, que cumprem determinados requisitos estabelecidos pelas normativas do Ministério da Saúde, tornando-se aptos ao recebimento dos incentivos financeiros, tanto para investimento quanto para custeio).

– DE GRANDE PORTE – Com capacidade instalada acima de 151 leitos. – DE MÉDIO PORTE – Com capacidade instalada de 51 a 150 leitos. – DE GRANDE PORTE – Com capacidade instalada acima de 151 leitos. Subtipo 01 ESTADUAL (deve ser utilizado para o caso da Central de Regulação ser de Gestão Estadual, tendo como abrangência de atendimento diversos municípios que não tem Central de Regulação das Urgências dentro do Estado).

Subtipo 02 REGIONAL (deve ser utilizado para o caso da Central de Regulação ser de Gestão Municipal, tendo como abrangência de atendimento mais de um município em conformação regional, que não tem Central de Regulação das Urgências). Subtipo 03 MUNICIPAL (deve ser utilizado para o caso da Central de Regulação ser de Gestão Municipal, tendo como abrangência de atendimento apenas o próprio município). TIPO II – Acesso (estabelecimento de saúde responsável por receber, qualificar e ordenar a demanda por ações e serviços de saúde de referência, com base em protocolos de regulação, disponibilizando o acesso à alternativa assistencial mais adequada e oportuna à necessidade do usuário) Laboratório Central de Saúde Pública – Lacen Estabelecimento de Saúde que integra o Sistema Nacional de Laboratórios de Saúde Pública – SISLAB, em conformidade com normalização vigente. Secretarias de Saúde Unidade gerencial/administrativa e/ ou de assistência médica, e demais serviços de saúde como vigilância em Saúde (Vigilância epidemiológica e ambiental; vigilância sanitária), Regulação de Serviços de Saúde, notadamente de interesse dos Conselhos de Medicina, auditorias, controle e avaliação, regulação e assistência. Serviços de Hemoterapia e/ou Hematologia Estabelecimentos que realizam todo ou parte do ciclo do sangue, desde a captação do doador, processamento, testes sorológicos, testes imuno-hematológicos, distribuição e transfusão de sangue de maneira total ou parcial. Dispondo ou não de assistência hematológica. Centro de Atenção Psicossocial Unidade especializada que oferece atendimento de cuidados intermediários entre o regime ambulatorial e a internação hospitalar, por equipe multiprofissional supervisionada por médico, constituindo-se também em ações relativas à saúde mental. Porte (Caps 1, 2 e AD) Unidade Médica Pericial Tipo I – Consultório pericial: SubTipos: a- Medicina do Tráfego b- Medicina do Trabalho c- Medicina do Esporte d- Medicina Aeroespacial e- outros Tipo II – Posto Pericial Previdenciário Tipo III – Posto Médico-Legal Tipo IV – IML/DML Tipo V – Serviço de Verificação de Óbito Serviços de Auditoria Serviços de Cuidados Domiciliares (Home Care) Estabelecimentos que forneçam internação médica domiciliar visando atender os portadores de enfermidades cujo estado geral permita sua realização em ambiente domiciliar ou no domicílio de familiares. Banco sangue, olhos, órgãos, leite e outras secreções – Banco de sangue – Banco de olhos – Banco de tecidos – Banco de sêmen – Banco de leite Clinica Geral Clínica geral destinada à prestação de atendimento ambulatorial em várias especialidades, incluindo ou não as especialidades básicas e/ou executem procedimentos sob sedação ou não, oferecer Sadt e atendimento ambulatorial 24 horas. Unidade de atenção a Saúde Indígena Telessaúde Estabelecimentos que utilização de metodologias interativas de comunicação áudio – visual e de dados, com o objetivo de assistência, educação e pesquisa em saúde para o exercício da Medicina. Serviço de Diagnóstico por imagem Laboratórios em Geral Laboratórios Especializados Central de transplantes Casa/clinica de Repouso Centro de Estudos e Pesquisas Estabelecimentos que forneçam exclusivamente estudos e pesquisas na área médica. Prestação de Serviços Médicos Terceirizados Prestação de serviços médicos em locais de terceiros, por meio de contratos/convênios. Clinica de Vacinação Assessoria e Consultoria de Serviços Médicos Operadoras de Planos de Saúde Ambulatório De Assistência Médica Patronal Empresas, entidades e órgãos mantenedores de ambulatórios para assistência médica a seus funcionários, afiliados e familiares, cuja atividade fim não seja a medicina. Somatoconservação de Cadáveres Para o registro a empresa deve atender o estabelecido no Parecer CFM nº 29/2014. Administradora de Benefícios Aplicativos de Consultas Médicas em Domicílio

See also:  Que Mira Un Medico Internista?

.

Quanto à Unimed paga por consulta para o médico?

As empresas de convênios médicos que cobram mais caro pelos planos pagam mais aos médicos? – De forma geral, sim, as operadoras de plano de saúde que cobram mais pelos planos, pagam um valor melhor ao médico em relação às empresas que cobram mais barato por seus planos médicos.

No entanto, de acordo com o Dr. Drauzio Varella, que é um dos nomes mais importantes da medicina brasileira, não é possível saber o quanto as empresas de convênio médico lucram com o trabalho do médico, haja vista que nenhuma delas informa a sua tabela de gastos vs.

lucratividade. Se você pretende ser credenciado por alguma operadora de convênios médicos, portanto, é primordial estar atento ao Guia Médico, que é o documento no qual a empresa informa aos profissionais os valores repassados não apenas por consulta, mas também por outros procedimentos, como cirurgias e exames, entre outros.

Qual é a profissão que dá mais dinheiro?

Recursos Humanos – O executivo de Recursos Humanos está entre os profissionais mais requisitados pelo mercado, por desempenhar papel cada vez mais estratégico nas organizações. A remuneração das carreiras da área de RH dobrou nos últimos anos. Um Coordenador de Cargos e Salários tem média salarial de R$ 6,4 mil, já um Gerente de Desenvolvimento de Recursos Humanos tem remuneração média de R$ 8,6 mil.

Quanto ganha um médico autônomo?

Salários de Médico

Cargo Salário
Salários de Médico na Ministério da Saúde: 20 salários informados R$ 14. 184/mês
Salários de Médico na Autônomo (Brazil): 20 salários informados R$ 15. 805/mês
Salários de Médico na Autônomo : 20 salários informados R$ 15. 016/mês
Salários de Médico na Autônomo : 17 salários informados R$ 17. 279/mês

.

Quem pode abrir uma clínica médica?

Você tem o sonho de ter uma clínica, mas não sabe como começar? Fique tranquilo, que você vai encontrar tudo o que precisa para abrir uma clínica médica neste guia. Fazer a abertura de empresa na área da saúde é o sonho de muitas pessoas, até mesmo de quem não é profissional da área.

  1. Qualquer pessoa pode abrir uma clínica médica, mas quem não é da área precisa fazer sociedade com um médico com registro no Conselho Regional de Medicina (CRM), que será o responsável técnico pela clínica;

Abrir um CNPJ é uma grande vantagem mesmo para o médico que ainda não tem estrutura para abrir seu próprio consultório. Isso porque muitos hospitais dão preferência para a contratação de médicos Pessoa Jurídica, pois assim conseguem economizar com encargos trabalhistas.

Como abrir uma clínica e alugar salas?

Como legalizar uma clínica médica?

O que tem num consultório médico?

Faça uma boa escolha do imóvel – Escolher um bom imóvel é tão importante quanto fazer uma boa escolha do local, afinal, a estrutura do consultório é um dos investimentos que normalmente mais pesam na hora da abertura do negócio. A estrutura básica de um estabelecimento médico normalmente conta com uma recepção, banheiros, salas de atendimento e, dependendo da sua especialidade, uma sala exclusiva para exames.

Antigamente, as clínicas e consultórios médicos precisavam reservar uma sala apenas para o armazenamento de documentos como fichas de pacientes, relatórios físicos, agendas e outros. Porém, hoje esse desperdício de espaço não é mais necessário.

Com a ajuda de ferramentas digitais como os softwares médicos, todas as informações podem ser centralizadas em uma única plataforma. Ou seja, o ideal é não precisar reservar uma sala para guardar papel , pois hoje em dia é muito mais eficiente ter tudo digitalizado, você desperdiça menos dinheiro, além de abrir espaço para outras atividades que você deseja ter na clínica.

Se for possível, escolha um imóvel que permita criação de espaços como uma copa para sua equipe de colaboradores ou, caso seu negócio venda produtos de saúde, um local para armazenar seu estoque , pois assim seu consultório pode ficar mais organizado e dinâmico.

Outra questão importante, que normalmente uma boa parte dos administradores acabam deixando de lado, é garantir acessibilidade para todas as pessoas , inclusive aquelas com deficiências, idosos, entre outros. Não se esqueça de verificar se a estrutura do imóvel segue as normas exigidas pelos órgãos regularizadores como a Anvisa.

Qual o tamanho ideal de um consultório médico?

• Área mínima para um consultório indiferenciado de 7,50m². • Conforme a especialidade médica e os equipamentos que devem ficar no consultório a área mínima estabelecida deverá ser maior do que 7,50m², de modo a permitir um fluxo adequado. • A instalação de gases medicinais será exigida conforme a especialidade.

• Recepção e sala de espera compatível com a demanda, considerando 1,20m² por pessoa. • Pé direito mínimo de 3m. • Forros lisos, pintados de cor clara e de material adequado. • Piso de material resistente, liso, lavável e impermeável.

See also:  Tengo Mucha Tos A Que Medico Debo Ir?

• Paredes deverão ter cor clara, com revestimento impermeável de material liso, resistente e lavável. • O lavatório para as mãos deverá ter torneira que dispense o contato manual. • Iluminação natural= 1/5 da área do piso. Decreto Estadual 12342/78 Art. 44 • Ventilação natural = ½ do vão iluminante.

Decreto Estadual 12342/78 Art. 44. • Quando da utilização de iluminação e ventilação artificiais, estas deverão atender às normas da ABNT. • As instalações sanitárias deverão ter:     a) Piso de material resistente, liso, lavável e impermeável, inclinado para o ralo, com fechamento escamoteável, os quais serão providos de sifões.

b) Paredes revestidas até 2m no mínimo, com material resistente, liso, impermeável e lavável. Decreto Estadual 12342/78 Art. 183. c)Deverão ser providos de papel toalha, sabonete líquido e lixeira com tampa acionada sem contato manual. • Deverá ter antecâmara nos banheiros.

  1. Art;
  2. 182 Subseção VI Cap;
  3. IX Decreto Estadual 12342/78;
  4. • Sanitários separados por sexo para os funcionários e para pacientes;
  5. • As instalações elétricas deverão ser embutidas;
  6. • O rodapé deverá ser embutido na parede de modo a permitir uma perfeita higienização do ambiente;

• Copa para funcionários – obrigatório quando tiver mais de 30 empregados. Decreto Estadual 12342/78, Art. 193, 194. • Vestiário com armário – quando for o caso – 6m². • Armário para guarda de pertences de funcionários. • DML com tanque coberto. • Resíduos de serviço de saúde: local adequado para o armazenamento dos resíduos até o momento da coleta.

Como montar um centro médico?

Como montar um consultório de sucesso?

Qual o tamanho ideal de um consultório médico?

• Área mínima para um consultório indiferenciado de 7,50m². • Conforme a especialidade médica e os equipamentos que devem ficar no consultório a área mínima estabelecida deverá ser maior do que 7,50m², de modo a permitir um fluxo adequado. • A instalação de gases medicinais será exigida conforme a especialidade.

• Recepção e sala de espera compatível com a demanda, considerando 1,20m² por pessoa. • Pé direito mínimo de 3m. • Forros lisos, pintados de cor clara e de material adequado. • Piso de material resistente, liso, lavável e impermeável.

• Paredes deverão ter cor clara, com revestimento impermeável de material liso, resistente e lavável. • O lavatório para as mãos deverá ter torneira que dispense o contato manual. • Iluminação natural= 1/5 da área do piso. Decreto Estadual 12342/78 Art. 44 • Ventilação natural = ½ do vão iluminante.

Decreto Estadual 12342/78 Art. 44. • Quando da utilização de iluminação e ventilação artificiais, estas deverão atender às normas da ABNT. • As instalações sanitárias deverão ter:     a) Piso de material resistente, liso, lavável e impermeável, inclinado para o ralo, com fechamento escamoteável, os quais serão providos de sifões.

b) Paredes revestidas até 2m no mínimo, com material resistente, liso, impermeável e lavável. Decreto Estadual 12342/78 Art. 183. c)Deverão ser providos de papel toalha, sabonete líquido e lixeira com tampa acionada sem contato manual. • Deverá ter antecâmara nos banheiros.

Art. 182 Subseção VI Cap. IX Decreto Estadual 12342/78. • Sanitários separados por sexo para os funcionários e para pacientes. • As instalações elétricas deverão ser embutidas. • O rodapé deverá ser embutido na parede de modo a permitir uma perfeita higienização do ambiente.

• Copa para funcionários – obrigatório quando tiver mais de 30 empregados. Decreto Estadual 12342/78, Art. 193, 194. • Vestiário com armário – quando for o caso – 6m². • Armário para guarda de pertences de funcionários. • DML com tanque coberto. • Resíduos de serviço de saúde: local adequado para o armazenamento dos resíduos até o momento da coleta.

O que tem num consultório médico?

Faça uma boa escolha do imóvel – Escolher um bom imóvel é tão importante quanto fazer uma boa escolha do local, afinal, a estrutura do consultório é um dos investimentos que normalmente mais pesam na hora da abertura do negócio. A estrutura básica de um estabelecimento médico normalmente conta com uma recepção, banheiros, salas de atendimento e, dependendo da sua especialidade, uma sala exclusiva para exames.

Antigamente, as clínicas e consultórios médicos precisavam reservar uma sala apenas para o armazenamento de documentos como fichas de pacientes, relatórios físicos, agendas e outros. Porém, hoje esse desperdício de espaço não é mais necessário.

Com a ajuda de ferramentas digitais como os softwares médicos, todas as informações podem ser centralizadas em uma única plataforma. Ou seja, o ideal é não precisar reservar uma sala para guardar papel , pois hoje em dia é muito mais eficiente ter tudo digitalizado, você desperdiça menos dinheiro, além de abrir espaço para outras atividades que você deseja ter na clínica.

  1. Se for possível, escolha um imóvel que permita criação de espaços como uma copa para sua equipe de colaboradores ou, caso seu negócio venda produtos de saúde, um local para armazenar seu estoque , pois assim seu consultório pode ficar mais organizado e dinâmico;

Outra questão importante, que normalmente uma boa parte dos administradores acabam deixando de lado, é garantir acessibilidade para todas as pessoas , inclusive aquelas com deficiências, idosos, entre outros. Não se esqueça de verificar se a estrutura do imóvel segue as normas exigidas pelos órgãos regularizadores como a Anvisa.

O que é necessário para abrir um consultório de psicologia?

Adblock
detector